7 de novembro, 2017

Jovens da ESV comentam novo modelo de formação após quatro meses de implementação

Formação da Escola Social do Varejo agora acontece com aulas presenciais e também à distância.

Em junho de 2017, as inscrições para participar da Escola Social do Varejo (ESV) foram anunciadas com uma novidade: em Salvador (BA) e Recife (PE), a formação aconteceria com aulas presenciais e também à distância. A inovação começou com as turmas de agosto e é aplicada como um projeto-piloto, por isso, está acontecendo em duas localidades – Osasco (SP) permaneceu com a mesma estrutura dos últimos anos. Três meses depois, na reta final dessa experiência, já é possível reconhecer os pontos positivos e alguns desafios nessa nova metodologia.

A mudança foi pensada pelos realizadores do programa, Instituto Walmart e Instituto Aliança, e faz parte de uma estratégia para fortalecer e dar escala às iniciativas voltadas à entrada de jovens no mundo do trabalho. As reflexões para chegar nessa nova metodologia se basearam no contexto atual do país – onde os jovens têm sido os mais afetados pelo desemprego – e no fato da Escola Social do Varejo ser um programa sólido, com resultados muito bons que podem ser replicáveis e ampliados.

Para as três cidades, a formação continua acontecendo em 330 horas e com três módulos. Os jovens da Bahia e Pernambuco estão fazendo dois deles – Contexto das Relações do Varejo e Tecnologia da Informação e Comunicação – com orientação e conteúdo navegável à distância (180 horas). O módulo Desenvolvimento Pessoal e Social permanece presencial (120 horas), duas vezes por semana. Uma vez por mês acontece o encontro para “entrada de inserção”, onde são discutidos temas ligados ao mundo do trabalho. Os dois momentos servem também para avaliação do andamento do que está sendo estudado por fora, dentro da nova metodologia.

Segundo Roberta Albuquerque, coordenadora do Instituto Aliança, essa primeira experiência está trazendo uma série de aprendizados novos para todos envolvidos com o programa. “Ainda estamos caminhando, aperfeiçoando a plataforma online e analisando as críticas e elogios. Percebemos nessa experiência que é essencial que os momentos presenciais sejam fortalecidos porque é isso que mantém os jovens ativos e curiosos para continuar o aprendizado em casa. Com isso vieram novas técnicas para a ESV, afinal, agora é preciso saber organizar o tempo e a concentração para o que é feito fora da sala de aula”, comentou.

Roberta ainda destacou o aprendizado colaborativo que o novo método está reforçando. “Na ESV trabalhamos a identidade de cada jovem, seu fortalecimento, seu espaço e importância em um grupo. Com o ensino a distância isso ganhou uma escala maior. Eles se ajudam muito, por WhatsApp, no fim das aulas, nos laboratórios onde fazem as atividades. Quem tem mais facilidade está ajudando quem ainda está se acostumando. Isso é muito bonito, esse espírito é a base da ESV”, comentou.

A voz dos jovens

Nadyane de Jesus Barros, 24 anos – ESV Salvador (BA)

“A ESV tem sido uma experiência incrível. Essa mudança na metodologia foi boa pra mim. Eu não trabalho ainda, mas tenho um filho e estou conseguindo estudar e ficar com ele fazendo meu próprio horário, de acordo com a realidade da minha rotina. Vou duas vezes por semana fazer o presencial e esses momentos são essenciais, dão forças pra parte que faço de casa. Confesso que no começo tive dificuldades para entender a parte técnica, como tudo funciona e me acostumar, mas agora está bem mais tranquilo. Está sendo bom aprender a ter disciplina, me organizar e focar quando é hora de fazer as atividades da plataforma. O legal é que a gente se ajuda muito. Tiro dúvidas com os educadores e meus amigos por WhatsApp em qualquer hora.”

Danilo Nascimento Paixão, 19 anos – ESV Salvador (BA)

“Eu estava sem ocupação. Vi pelo Facebook que as inscrições estavam abertas, me interessei, me inscrevi e deu certo. Foi uma boa decisão, estou achando muito legal. As aulas presenciais são excelentes e a parte a distância também está caminhando bem, não tive dificuldades. Estou buscando fazer as atividades complementares da plataforma e estou prestes a começar outro curso no SENAI. Acho que tudo ajuda e estou vendo que é momento de estudar e me preparar para o futuro.”

Tifany Andrade de Paula Ferreira, 18 anos – ESV Recife (PE)

“A ESV veio em ótima hora porque terminei o Ensino Médio e não estava me sentindo preparada, qualificada para entrar no mercado de trabalho. Comecei a formação e está sendo um desafio e tanto. A plataforma a distancia é o que mais exige de mim, preciso me organizar para conseguir cumprir todas as atividades de cada módulo. Eu tenho estabelecido dias e horários para estudar em casa. O conteúdo é excelente, aprendo muito. As aulas presenciais são maravilhosas, dão base e estão me preparando profissional e emocionalmente para tudo que ainda está por vir em minha carreira.”

Paulo Henrique Ribeiro Calado, 23 anos – ESV Recife (PE)

“Quis ser parte da ESV porque um amigo fez e vi que ele saiu muito bem, gostou demais. Está superando minhas expectativas. Em relação àplataforma a distancia, não tive dificuldades, já estou bem acostumado pois já tinha feito EaD antes. Gosto de ajudar se alguém precisa, estamos aprendendo juntos. Acho que a parte a distância exige cuidado porque pode virar uma bola de neve. Se deixar acumular as atividades, fica difícil recuperar tudo de uma vez. Acabo palpitando bastante no que eu acho que está legal na plataforma e o que não está. É bom ver que estamos contribuindo pra isso também, pra perfeiçoar algo que ensina e pode ser vir pra mais jovens.”

Últimas <strong>Notícias</strong>