7 de novembro, 2017

Diversidade é ponto central na estratégia de gestão de pessoas do Walmart Brasil

Empresa quer refletir a sociedade em que está inserida oferecendo oportunidades de crescimento a todos os profissionais.

Uma empresa com oportunidades para todos, em que o funcionário e sinta acolhido e tenha perspectiva de crescimento. Essa é a meta do Walmart Brasil com sua estratégia de diversidade. A companhia mantém uma diretoria dedicada a Cultura, Diversidade e Inclusão (CDI) para manter o tema na pauta de toda a empresa e desenvolver continuamente ações com esse foco.

“Nosso objetivo é ser uma empresa que reflete a sociedade em que estamos inseridos. Então, não atuamos por uma única causa, trabalhamos para que todas as pessoas sintam que são parte importante da companhia”, destaca Cleide Oliveira, diretora da área. Ela explica que na matriz do Walmart a área de CDI possui um status de vice-presidência, demonstrando a importância que esse tema possui globalmente. No Brasil, a empresa mantém também um Comitê de Diversidade, que se reúne periodicamente para analisar e debater questões relacionadas ao tema.

O fio condutor das ações de diversidade são os princípios básicos do Walmart. “Um desses princípios é o respeito pelo indivíduo. Trabalhamos, com apoio da liderança, na preparação das equipes para que todos saibam respeitar as diferenças e a história de cada pessoa e os indicadores que temos alcançado mostram que estamos no caminho certo.”

As mulheres representam 54% dos 65 mil funcionários do Walmart Brasil e ocupam 42% dos cargos de liderança, segundo dados do mês de agosto. Além disso, 60% das promoções dadas este ano foram para mulheres e elas já ocupam o primeiro posto na hierarquia em 93 das 471 lojas da rede. Cleide destaca que esse resultado é especialmente notável no varejo, um segmento em que os profissionais possuem apenas um dia de folga por semana.

O Walmart foi o primeiro varejista brasileiro a receber, em 2013, o Selo Pró-Equidade de Gênero e Raça, da Secretaria Especial de Políticas para Mulheres da Presidência da República, e desde então tem obtido esse reconhecimento em todas as edições. A companhia também foi fundadora e é membro do Movimento Mulher 360, que reúne empresas que atuam pelo desenvolvimento econômico das mulheres.

No caso dos jovens que estão iniciando a vida profissional, o objetivo é não apenas inserir, mas principalmente reter e desenvolver os profissionais. “Hoje temos 6% de jovens aprendizes, das posições elegíveis ao cálculo dessa proporção. Mas nosso foco não é apenas cumprir cota, queremos que o jovem veja perspectiva e queira desenvolver uma carreira aqui.” Uma das ações realizadas para esse público são encontros a cada dois meses com executivos que fazem parte do comitê executivo, que falam sobre as próprias carreiras e respondem a perguntas.

Em relação às pessoas com deficiência, o Walmart tem atuado especialmente nas lojas, clubes e centros de distribuição para atingir a cota e, principalmente, reter esses profissionais. Cleide destaca que é necessário o engajamento de toda a empresa para isso e explica que a partir do próximo ano a empresa irá investir mais no desenvolvimento desses profissionais para contribuir com que eles cheguem cada vez mais a postos mais elevados.

A companhia tem em seu quadro mais de 40% de negros e pardos autodeclarados. O número de funcionários com mais de 55 anos também é elevado. “Temos casos de funcionários com 40 anos de casa. O importante desses dados é que reforçam que, mesmo nos casos em que não temos ações voltadas a um público específico, vemos que as pessoas se sentem incluídas e acolhidas.”

Confira outras notícias sobre diversidade:

Funcionários do Walmart têm o que comemorar no Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência

Suzamara Poss é exemplo da valorização da mulher no Walmart Brasil

 

Últimas <strong>Notícias</strong>