Monitoramento da cadeia de produção no bioma Amazônia

Acompanhamos atentamente todo o caminho percorrido pela carne, desde a produção até a chegada ao consumidor final, que tem a garantia de receber um produto desenvolvido em acordo aos parâmetros legais de produção e livre de desmatamento.

Trabalhamos para que a carne oferecida a nossos clientes seja mais sustentável e sabemos que o caminho percorrido pelo produto desde a fazenda até a chegada às nossas lojas é muito longo. Por isso, desenvolvemos um sistema de monitoramento e gestão de riscos da carne bovina pioneiro no mercado varejista brasileiro. A ferramenta integra dados de georreferenciamento que mapeiam desmatamento, terras indígenas e unidades de conservação com informações de listas públicas sobre áreas embargadas e trabalho escravo.

O Sistema de Monitoramento de Gestão de Riscos Sociais e Ambientais analisa as fazendas de gado da Amazônia que fornecem carne para os frigoríficos com quem mantemos relacionamento comercial. Utilizamos informações geográficas que avaliam desmatamento, o respeito às terras indígenas e unidades de conservação e também dados públicos relativos a trabalho análogo ao escravo. Esse trabalho é realizado a partir de dados e informações oficiais coletados junto a diferentes órgãos do governo, como a Fundação Nacional do Índio (Funai), os ministérios do Meio Ambiente e do Trabalho e Emprego, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Na questão do desmatamento, o Walmart Brasil entende que as florestas só exercem o seu papel ecossistêmico se estiverem em pé e, portanto, desde 2013, incorporou o conceito de Desmatamento Zero como critério de análise do Sistema de Monitoramento – o mesmo conceito já está previsto na política interna de compra de carne da empresa.

Em 2015, foi implantada a etapa de gestão de riscos propriamente dita: toda mercadoria que chega às lojas e CDs com alguma irregularidade apontada pelo sistema passou a ser recusada. Isso significou a entrada de 100% dos fornecedores com planta na Amazônia no sistema de monitoramento, com 62 mil fazendas cadastradas, cinco frigoríficos e 35 plantas frigoríficas participantes.

Como prAgrotools (1)óximo passo do programa de Monitoramento, desenvolvido em parceira com a Agrotools, o Walmart pretende expandir seu uso para outros biomas.