9 de fevereiro, 2017

Escola Social do Varejo promove formação profissional de jovens para o mercado de trabalho

Veja a trajetória de Emily Amador, ex-aluna da ESV que hoje trabalha no escritório do Walmart Brasil, em Barueri (SP)

Criada em 2010, a Escola Social do Varejo (ESV) promove a formação profissional de jovens entre 17 e 24 anos para o mercado de trabalho, com foco no segmento de varejo. O programa garante capacitação para a conquista do primeiro emprego formal. A ESV atende jovens egressos ou que estejam nos últimos anos do Ensino Médio na rede pública. Para os que ainda estão cursando, as aulas acontecem no contraturno escolar, ou seja, os alunos não deixam de acompanhar o curso regular.

Emily Lucena de Souza Amador é ex-aluna da ESV. Ela participou da turma do 1º semestre de 2016 e certificou-se em julho. Desde setembro do ano passado, Emily trabalha no escritório do Walmart Brasil, em Barueri (SP), como Jovem Aprendiz na área de Capital Humano. Ela conta que estava há dois meses procurando emprego, quando viu um cartaz de divulgação da ESV e resolveu se inscrever. “Eles fazem uma entrevista para nos conhecer melhor e entender se o curso corresponde aos nossos interesses. Durante o período de 5 meses não poderíamos trabalhar, mas havia 80% de chance de que, após o curso, conseguiríamos uma colocação no mercado de trabalho. Desde o primeiro momento, cumpriram com tudo o que prometeram”, recorda.

A Escola oferece auxílio transporte, uniforme e material didático. Possui uma formação de 300 horas, dividida em três áreas: Desenvolvimento Pessoal e Social, Contexto das Relações do Varejo e Tecnologia da Informação e Comunicação. De acordo com Emily, as aulas abordaram alguns pontos principais: Indentidade, para os alunos se autoavaliarem e descobrirem com quais áreas se identificavam mais; Integração, para conhecerem uns aos outros; e  Comunicação, que era exercitada todo o tempo, com apresentações em quase todas as aulas.

Depois, o foco foi para o varejo. “Eu não conhecia muito sobre varejo. Ninguém tinha noção de que por trás de um hipermercado, teria um escritório central que cuida de tudo. Foi aí que nós vimos a imensidão da empresa, conhecemos um pouco dos valores e começamos a entender mesmo o que era o varejo”, relata Emily. Ela conta que o curso encerrou com o tema Ética e Cidadania, que destaca o quanto é importante ter ética não só dentro da empresa. “Fomos inseridos à cultura do Walmart e estimulados a analisar se condiz com a nossa conduta. Fizemos um trabalho final que envolve toda a sociedade e um projeto de vida, no qual falamos quais eram nossos sonhos para daqui 5 e 10 anos”.

Segundo Emily, a ESV foi o primeiro passo para entrar no mercado de trabalho. “Eu achei que seria muito difícil ficar cinco meses sem trabalhar. Mas passa tão rápido e o curso é tão cheio de informação. Nossa rotina não tem nada a ver com escola, não pegávamos tanto no lápis, era mais prático”. Além das aulas, os alunos realizam visitas a estabelecimentos comerciais e recebem orientação para a inserção no mundo do trabalho, com apoio na elaboração de currículo e preparação para entrevistas. “Quando passamos, fazemos entrevistas de encenação para ver como sairíamos e vemos que é totalmente diferente do que estamos acostumados. Tem gente que já trabalhou em 4 empresas, mais ou menos, e saiu com uma visão totalmente diferente”, explica.

Após a certificação do curso, inicia-se o processo de encaminhamento dos alunos para o mercado. O Walmart disponibiliza algumas vagas internas e também indica para outras empresas. O aluno faz um teste, escolhe entre as áreas disponíveis com qual ele se identifica e participa de uma entrevista. “Eu fiz entrevista em outras companhias. Na verdade, eu não visava tanto o Jovem Aprendiz, porque eu já trabalhei em outras empresas. Mas quando eu conheci o que realmente era o Walmart, vi que o meu reconhecimento seria grande e que eu poderia crescer, além de ter me identificado muito com a cultura. Eu escolhi a área de Capital Humano porque sou formada em técnico de secretariado. Então, acredito que seria um começo para onde pretendo seguir”, esclarece Emily.

O contrato do Jovem Aprendiz é de um ano e meio. Mas, Emily ressalta que o crescimento na empresa depende de cada um. “As portas estão abertas, mas, vai muito do nosso esforço e dedicação”.  Emily pretende cursar psicologia e conta que a ESV contribuiu muito para essa decisão. “Os professores dão um feedback se estamos seguindo o caminho certo. Eu sempre me interessei pela psicologia. Pretendo me especializar em alguma área determinada, crescer no Walmart e continuar no Capital Humano. Me identifiquei totalmente com essa área e pretendo continuar exercendo essa função dentro da companhia”, destaca.

web_emily

Emily comenta que indica a ESV para todos os seus amigos e que, se pudesse, faria novamente. “É muito interessante. Você se autoavalia, começa a olhar o mundo de outra maneira e enxergar o ser humano. Além disso, você percebe que é uma pessoa profissional e começa a acreditar na sua capacidade. Nós temos a frase “eu posso, eu quero, eu consigo, eu mereço”, que acho que todo mundo gravou. Acredito que nada é tão nosso quanto os nossos sonhos. É muito gratificante quando começamos a ter nossas próprias conquistas”, finaliza.

Estão abertas as inscrições para novas turmas da a Escola Social do Varejo. Clique aqui e saiba mais. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias