24 de janeiro, 2017

Como colocar as contas de casa em ordem?

É necessário aprender a consumir e a administrar o dinheiro. Confira algumas medidas que podem ser adotadas para fazer um controle de gastos

Muitas pessoas enfrentam problemas para cuidar de seu próprio dinheiro. Alguns entram em dívidas inacabáveis, outros não conseguem juntar dinheiro para realizar os sonhos ou não sabem como fazer um planejamento financeiro. O início do ano é um bom momento para atualizar sua vida financeira. É hora de rever algumas contas, cancelar serviços que não são mais usados e começar a reservar uma parte dos rendimentos.

Anote seus gastos

De acordo com a jornalista, autora do blog Bolsa Blindada Patrícia Lages, organização financeira é muito fácil: basta ter uma folha de papel, um lápis e uma calculadora simples. “Anote de um lado da folha todos os ganhos e, do outro, todos os gastos. Depois, analise se os ganhos são suficientes para cobrir os gastos e você terá um panorama da sua vida financeira. Para ampliar esse panorama, faça o mesmo para os meses seguintes. Nem mesmo é necessário ter super planilhas de computador ou um aplicativo moderno, pois qualquer que sejam os modelos de planilha ou aplicativos, o princípio sempre será esse” orienta.

Conheça os vilões do orçamento

Patrícia explica que tendo feito as anotações, é possível verificar onde o dinheiro vem sendo mais gasto. Se são as contas de consumo, como luz, gás, telefone, o aluguel ou as prestações de um empréstimo. Sabendo para onde o seu dinheiro vai, você poderá distribuí-lo melhor.

“Geralmente as pessoas pensam que os vilões são os gastos maiores como o aluguel ou a prestação de um bem durável como um automóvel, mas na verdade é exatamente o contrário”, afirma. A jornalista ainda esclarece que os grandes vilões são os chamados gastos arbitrários, que são geralmente gastos pequenos, mas frequentes, como salão de beleza, tomar café da manhã fora de casa, comprinhas não planejadas (roupas, bolsas, calçados, acessórios, presentes), entre outros. “Esse tipo de gasto costuma levar boa parte do orçamento das pessoas sem que elas mesmas percebam e é aí que mora o perigo”, alerta.

Evite o desperdício

Ao analisar o orçamento, a meta principal de cada um deve ser cortar todo e qualquer desperdício. Para isso, devemos entender que desperdício é o que leva o dinheiro desnecessariamente como: pagar por serviços que não são usados, comprar eletrodomésticos que ficam encostados em casa, roupas que nunca sairão do guarda-roupa, alimentos que vão parar no lixo etc. Segundo Patrícia, a eliminação do desperdício deve ser a meta número um. Dessa forma, o dinheiro que sobrar poderá ser investido de uma forma muito mais produtiva: pagar uma dívida, comprar algo que se queira, fazer um curso etc.

Saiba como distribuir sua renda

Com relação à distribuição da renda, Patrícia acredita que cada pessoa deve analisar seus gastos e definir o que acredita ser melhor para si. Por exemplo: há pessoas que julgam ser necessário investir mais dinheiro em roupas e calçados, outras que preferem usar esse dinheiro nos estudos. “Não há certo ou errado, mas sim, que a pessoa use seu dinheiro para ter ou fazer aquilo que gostaria. Porém, existe uma regrinha que pode direcionar melhor os objetivos de quem quer ter uma vida financeira mais saudável, que é tentar viver com 80% do seu ganho e poupar 20%”, aconselha.

Reduza os gastos essenciais           

Algumas medidas simples, que todos conhecem, mas nem sempre colocam em prática, ajudam muito na diminuição das contas de consumo, como: não deixar luzes acesas ou ar condicionado ligado onde não há ninguém, não dormir com a TV ligada, não tomar banhos demorados, não falar à toa ao telefone (substituir por outras formas de comunicação gratuitas) etc. Patrícia afirma que todo valor que se deixa de jogar fora é um ganho, pois, assim como os gastos arbitrários levam pouco a pouco boa parte do orçamento, as economias a longo prazo trazem grandes ganhos. “Se uma família economiza quinze reais na conta de luz, cinco na de água, dez na de gás e outros dez na de telefone, economizará mensalmente 40 reais. Pode parecer pouco, mas ao longo de um ano a economia – só dessas quatro contas – chegará a 480 reais. Não seria ótimo chegar ao final do ano com uma sobra de quase quinhentos reais? Teríamos uma ceia e tanto!”, exemplifica.

4 Comentários

  1. O meu maior problema é a preguiça de anotar. E depois ficar que nem uma “bestalhada”sem saber o qur gastou . e a conta do cartao de credito e paga pelo limite de credito especial.

    Meu pai fala toda hora Para eu anotar na agenda que ele dar no natal para o proximo ano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Viver Melhordsa